Assassinato no Expresso do Oriente
Título Original: Murder on the Orient Express
Autora: Agatha Christie
Tradução: Petrucia Finkler
Editora: L&PM 
Ano: 2015
Edição: 1ª

Agatha Christie foi uma escritora bastante reconhecida que viveu no século passado, popularmente chamada Rainha do Crime. Durante 56 anos de carreira ela escreveu 66 romances policiais, e teve mais de 2 bilhões de seus livros vendidos no mundo, equiparando-se a Shakespeare. Uma das suas obras mais conhecidas é “Assassinato no Expresso do Oriente” que foi lançada em 1934. E em 2017 se tornou uma superprodução da Fox, mas tem ainda duas outras adaptações para os cinemas, uma de 1974 e outra de 2001.

A trama

O detetive belga Hercule Poirot, devido a um imprevisto, precisa embarcar no luxuoso Expresso do Oriente e voltar à Londres. Lá ele encontra um velho amigo, Monsieur Bouc, o diretor da companhia que opera o trem. E para evitar um escândalo, após o assassinato de um dos passageiros, ele pede que o detetive exerça as suas incríveis habilidades para investigar o caso e resolvê-lo antes que o trem chegue ao próximo destino. O livro está dividido em três partes: os fatos, os testemunhos e a parte final. Desse modo, ao longo da trama somos apresentados a outros personagens de diversas nacionalidades e passamos a conhecer um pouquinho mais de cada um deles a partir da percepção do próprio Poirot. 

O detetive por vezes explica os acontecimentos ao diretor da companhia e a um outro personagem com diálogos bem expositivos, que servem para os leitores que não tenham acompanhado tão bem a trama até aquele momento (talvez incomode os leitores mais exigentes, mas não interfere na qualidade do livro em si).

De todo modo, a história é daquelas que nos fazem devorar o livro, bastante interessante e instigante, com acontecimentos bem amarrados e pertinentes. Deixando sempre aquela boa dose de suspense pairando no ar. Com uma narrativa onisciente e a apresentação da linha de raciocínio do detetive; o leitor é levado a se juntar a investigação, e tentar também entender as pistas e resolver o crime.

Assassinato no Expresso do Oriente: livro e filme

O livro não é muito grande e tem uma leitura bastante fluida, então dá para ler em poucos dias. Logo no dia seguinte ao que eu terminei a leitura, assisti pela primeira vez o filme de 2017, talvez com a história muito fresca na cabeça. Obviamente não dá para adaptar o livro perfeitamente, e detalhes essenciais, como os pensamentos e linhas de raciocínio, não são tão fáceis de representar numa tela de cinema. E por isso eu acabei estranhando as diferenças entre as histórias, mas o filme é bem legal. A única coisa que eu faria diferente é mudar a ordem em que eu vi as obras, ou só dar um intervalo maior entre ambas. (Fica essa dica, se você não viu nenhum dos dois!)

Outros livros clássicos


Gaby Quinto

Ah, eu? Ainda aprendendo a ser quem sou e ser o melhor possível. É incrível como as palavras parecem poucas quando a gente tenta se descrever. Mas é isso... meio nerd, meio fotógrafa, metida a desenhista, e de vez em quando escrevo.

2 comentários

Lane Quinto · 22 de outubro de 2020 às 08:37

Parabéns! Muito boa a resenha, me deu vontade de ler o livro. Continue escrevendo e nos incentivando à leitura!

Val · 22 de outubro de 2020 às 13:26

Parabéns, Gabi!

Amei a resenha e a indicação. Excelente narrativa. Grande menina!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *