Foto: Nanda Novaes

Quantas vezes você consegue aguentar o baque antes de desabar? E como saber quando você está no seu limite se você nunca chegou até ele antes? Quão assustador o mundo pode ficar quando você o vê com outros olhos? Quando você vê sua vida com os olhos de um estranho, mas, esse estranho é você. Sua vida está diante de si, mas, ela não é sua. Você não está ali.

A parte obscura da sua mente dominou sua vida e a única coisa que consegue fazer é assistir de camarote enquanto tudo desmorona a sua volta. O engraçado disso é que nem sempre você percebe o caos, você não sabe que está no seu limite até a minima coisa quebrar suas, agora finas, barreiras e desestruturar todo e qualquer pensamento que tiver.

Quando tudo isso acontece você se depara com uma decisão importante: o que vai fazer para lidar com isso? Você vai se esconder na sua mente e se deixar destruir enquanto uma pequena parte sã está guardada e com medo do que você se tornou? Você vai enfrentar tudo de frente e tentar não perder a batalha? Você vai fazer o possível para acabar com sua dor e desespero o mais rápido possível ou você vai fazer uma das coisas mais difíceis possíveis: pedir ajuda?

E se você sequer souber que precisa de ajuda?

Categorias: Originais

12 comentários

Cleber Eldridge · 18 de outubro de 2018 às 22:29

Acho que depende muito da situação, as vezes o baque por ser definitivo, as vezes depende da nossa situação emocional …

//clebereldridge.blogspot.com

Lilian Stéfani Huzyk · 24 de outubro de 2018 às 16:46

Adorei o texto e fiquei tocada, alguns trechos foram bem profundos e me identifiquei. Curti mesmo, muito bem escrito.

//www.leitorasvorazes.com.br/

Silvana Crepaldi · 6 de novembro de 2018 às 16:25

Olá, Nanda.
Muito bom seu texto. Acho que a gente sente quando chega no limite. Eu já cheguei alguma vezes e para continuar só com a ajuda de Deus e da família mesmo, porque sozinha não dá.

Prefácio

Luiza Helena Vieira · 6 de novembro de 2018 às 21:09

Oi, Nanda!
Seu texto me lembrou muito uma situação que passei recente e me fez chegar ao limite de tudo. Foi um grande baque, mas que serviu para abrir os olhos para muita coisa
Beijos
Balaio de Babados

Priih · 9 de novembro de 2018 às 08:49

Olá, tudo bem?
Ótima reflexão, impossível não pensar em quem tem depressão. Procurar ajuda, nesses casos, é fundamental. É complicado sair do buraco sozinho.
Beijos,

Priih
Infinitas Vidas

Hanna Carolina Lins de Paiva · 10 de novembro de 2018 às 18:30

É uma situação complicada… saber que precisa de ajuda é um passo e tanto, afinal a gente passa por cima de muita coisa que acha que tem antes de se dar conta disso… e depois ter a coragem de pedir ajuda… é beeeem difícil…
Bjks!

Mundinho da Hanna

Monique · 10 de novembro de 2018 às 23:45

É triste quando nos sentimentos assim, mas acredito que o melhor que podemos pensar que nada é para sempre, a dor vai embora ou ameniza..

Cássia · 11 de novembro de 2018 às 10:25

Todos enfrentam momentos difíceis ao longo da vida, cada um vai lidar com isso de uma forma diferente, e está tudo bem “desmoronar”, as vezes é necessário mesmo, mas o mais importante mesmo é buscar ajuda, seja da família, dos amigos, de um profissional… Sempre existe alguém que possa lhe dar a mão!

Denise Crivelli · 16 de novembro de 2018 às 22:34

Oii
muito bom o texto, me identifiquei com algumas partes, a minha mente brinca comigo e esses dias andei tendo umas crises de ansiedade, até por isso vou começar a ir em uma psicologa, porque isso me impede de fazer várias coisas.

//momentocrivelli.blogspot.com

Denise Crivelli · 16 de novembro de 2018 às 22:35

Oii
muito bom o texto, me identifiquei com algumas partes, a minha mente brinca comigo e esses dias andei tendo umas crises de ansiedade, até por isso vou começar a ir em uma psicologa, porque isso me impede de fazer várias coisas….

//momentocrivelli.blogspot.com

Tamires Marins · 22 de novembro de 2018 às 01:01

Olá, Nanda

Acho que uma das piores coisas que podem acontecer é perder o controle da nossa mente; é nos tornarmos vítimas daquilo que deveria ser nossa força. Achei o texto ótimo e de fácil identificação, tenho certeza que muitas pessoas se beneficiarão dele.

Beijos
– Tami
//www.meuepilogo.com

Nina Elyard · 22 de novembro de 2018 às 20:03

Sempre acreditei que a realidade está em nossas mãos. Somos mais que pensamos ser e, infelizmente, não saber disso é o que, muitas vezes, nos destrói.
Vai parecer ridículo, mas confia em mim quando digo: com otimismo a vida se ajeita. O jeito Harvard de ser feliz é esse, inclusive.

E aliás, que texto, moça! É um excelente plot de conto ou mesmo romance. Adorei sua escrita!
Com carinho, Nina
//www.entremcc.blogspot.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *